Música

Clique no quadrado inferior direito para leitura. 

Visualize no Google Drive e faça download do arquivo em PDF.

Aluizer Malab, palestrante do segmento Música no Seminário do Plano Estadual da Economia Criativa em Minas Gerais, chamou atenção para os festivais de música como uma relevante plataforma para o artista, dando-lhe oportunidade de apresentar-se, conquistar visibilidade e intercambiar com outros artistas e produtores. Ele ressalta os festivais de música eletrônica, como o Net Festival, voltado para a Eletronic Dance Music, que atualmente é um estilo musical dos mais consumidos no mundo. Esses festivais têm importante contribuição no lançamento de artistas e são muito significativos para Minas Gerais. Malab acredita que as casas de espetáculos e shows também têm que ser valorizadas, já que se constituem em espaços de divulgação dos artistas e de sua produção.

A promoção de circuitos regionais é outra ação ressaltada por Malab, porque possibilita a circulação da música. Como Minas Gerais tem 853 municípios e conta com muita produção musical, o fomento aos circuitos regionais seria uma boa alternativa para a promoção, divulgação e lançamento de artistas.

Em Minas existe tradição, credibilidade, grande variedade de gêneros musicais (música erudita, MPB, rock e pop, samba, pagode, axé, rap, hip hop, funk, gospel, sertanejo, regional, entre outros), e grande número de músicos. Nos últimos dez anos, para o palestrante, houve avanço na capacidade de articulação e organização dos músicos por meio de associações, fóruns e coletivos e também aumento da internacionalização da música mineira. Todos esses fatores podem ser articulados, visando aumentar os resultados econômicos do setor musical.

Coordenador: Flávio Henrique Alves
Palestrante no Seminário do Plano Estadual da Economia Criativa em Minas Gerais: Aluizer Malab
Pesquisadora responsável: Marta Procópio de Oliveira
Relatores: João Paulo Gonzaga Garcia e Maria Luísa Cabaleiro
Pesquisadora responsável pelas análises das informações e a formulação das diretrizes estratégicas: Marta Procópio de Oliveira