Economia Criativa

A Economia Criativa é composta pela cadeia produtiva (ciclos de criação, produção e distribuição) de bens e serviços que têm como ponto de partida a criatividade e o capital intelectual, fatores agregadores de valor, elemento central da formação de preços, resultando em riqueza material e simbólica.

Os segmentos que compõem o setor da Economia Criativa mineira são as artes do espetáculo (teatro, circo e dança); artes visuais e digitais; design; edição de livros; gastronomia; mídias audiovisuais (vídeo e cinema; televisão); moda; música; patrimônio e expressões culturais (patrimônio material e imaterial, artesanato e cultura alimentar); e softwares, aplicativos e jogos eletrônicos.

Em novembro de 2016, a Fundação João Pinheiro (FJP) reuniu representantes de todos os segmentos para discutir as potencialidades e os eventuais entraves ao desenvolvimento de cada um deles no estado de Minas Gerais, no Seminário do Plano Estadual da Economia Criativa em Minas Gerais.  Já em abril de 2018, a instituição realizou, em parceria com o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) um colóquio devolutivo, para a apresentação do relatório fruto do seminário. O material consolidado desses dois anos de trabalho, coordenado pela  Diretoria de Cultura, Turismo e Economia Criativa da FJP, é o que pode ser conferido no material a seguir. Já o conteúdo específico de cada um dos segmentos pode ser lido ou baixado por meio da navegação no menu central.

Clique no quadrado inferior direito para leitura. 

Visualize no Google Drive e faça download do arquivo em PDF.